CEDAPS | Centro de Promoção da Saúde

MENU MENU

Notícias

30 de janeiro, 2012

CEDAPS participa de oficina promovida pelo Grupo Gestor do PSPE em Itaboraí

O CEDAPS, como integrante do Grupo Gestor Estadual do Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas (PSPE-RJ), participou do planejamento e da realização da “Oficina para adolescentes e jovens” na cidade de Itaboraí. O encontro foi uma iniciativa do Grupo Gestor Municipal (GGM) de Itaboraí e Coordenadoria Regional Metropolitana IX.

A oficina, que aconteceu no dia 21 de agosto no Colégio Estadual Visconde de Itaboraí – CEVI, teve como tema “Sensibilizando e aprendendo sobre prevenção das DSTs/Aids” e focalizou assuntos como sexualidade, gravidez na adolescência e prevenção.

O objetivo desse encontro foi contribuir para a formação de jovens nos temas relacionados à saúde, com especial ênfase em sua inserção no ambiente escolar; estimular a participação juvenil nas discussões e ações voltadas à promoção da saúde integral e elaborar planejamento para socializar a formação de outros jovens no município.

Como uma das propostas do PSPE é o protagonismo juvenil, a organização do encontro contou com o envolvimento de três jovens ativistas no processo de construção da oficina e na condução das atividades e discussões com os demais jovens participantes. Foram eles: Pâmela Alvarenga da Silva e Silva (jovem ativista e membro do GGM/PSPE Itaboraí), Mauro Lima dos Santos (jovem ativista e membro do GTE/PSPE RJ) e Gabriel da Silva Borges Henriques (parlamentar juvenil de Itaboraí, jovem ativista e membro do GGM/PSPE Itaboraí).

Participaram da oficina 38 adolescentes do Colégio Estadual Visconde de Itaboraí – CEVI (1º ano do curso normal); Escola Municipal Gastão Dias (7ª e 8ª série); Escola Municipal Afonso Salles (7ª e 8ª série) e Escola Municipal Guilherme de Miranda Saraiva (7ª e 8ª. série).

Na oficina, os participantes conversaram sobre o papel do jovem como multiplicador de informação, a participação juvenil como uma prática para garantir a autonomia e o direito de se expressar, e ainda sobre gênero e gravidez na adolescência. Os adolescentes e jovens apontaram também os motivos para falar de saúde na escola: “porque a escola é o lugar que tem mais adolescente”, “é onde passam a maior parte do tempo” e “porque em casa a mãe não conversa”, entre outros.

Valorização da conversa e das experiências

A apresentação sobre sexualidade valorizou a conversa do grupo, as experiências trazidas pelos participantes e a construção dos conceitos com o coletivo. A Roda de Conversa foi o espaço onde todos puderam colocar suas opiniões e dúvidas: jovens, professores e profissionais de educação e saúde conversando horizontalmente. Palavras e expressões como carinho, respeito, alegria, amor, confusão, tesão, “uma coisa boa, mas que deve acontecer no tempo certo”, paixão, fidelidade, fabulosidade, “amor entre duas pessoas”, seriedade, romantismo, emoção, contato amoroso, fundamental e vida foram lembradas na discussão.

Para finalizar o encontro, os adolescentes se agruparam por escolas e construíram um pequeno plano de ação, a fim de aprofundar o que foi discutido na oficina com o apoio de outros profissionais e multiplicar a informação com outros alunos das escolas envolvidas.

O material disponibilizado nas pastas, o local para o encontro, a divulgação nas escolas, a alimentação dos participantes e o convite para os dinamizadores da oficina foram resultado da articulação e parceria dos integrantes do GGM de Itaboraí. A atividade contou ainda com o apoio da Secretaria Estadual de Educação que disponibilizou, além do Caderno das Coisas Importantes para os adolescentes, as “Diretrizes para implementação do projeto e Guia para formação de profissionais de saúde e de educação” para os professores e demais profissionais.