CEDAPS | Centro de Promoção da Saúde

MENU MENU

Notícias

21 de julho, 2016

CEDAPS e Rede de Comunidades Saudáveis realizam oficinas com alunos da UFF e da UFRJ

Alunos de medicina da UFF participam de oficina sobre promoção da saúde no Cedaps

Um dos objetivos da Rede de Comunidades Saudáveis e do CEDAPS é aumentar a visibilidade das ações realizadas por comunidades populares, reduzindo a distância simbólica entre a cidade formal e a favela. Assim, no ultimo mês realizaram duas oficinas com estudantes da UFF e da UFRJ.

As oficinas realizadas na sede da organização tiveram o objetivo de apresentar para os estudantes de Medicina da UFF e de Terapia Ocupacional da UFRJ as ações realizadas em comunidades, o camelô educativo, os resultados da Rede, as estratégias comunitárias utilizadas pelas organizações participantes e o apoio técnico do CEDAPS.

WhatsApp-Image-20160622

Os alunos puderam participar, ainda, de uma simulação do camelô educativo, apresentado por uma liderança comunitária, Gloria, moradora do Quitungo e representante de uma das organizações comunitárias da Rede. “São profissionais de saúde que amanhã estarão no mercado. E é importante para eles conhecerem a prática e a vivência de uma líder comunitária, que fala uma linguagem popular. Assim nós vamos construindo as nossas redes”, disse João Silva, assistente de projetos que recepcionou os alunos.

“Acreditamos que cumprimos uma função social importante como Organização da Sociedade Civil, na parceria com as universidades e na formação dos alunos, aproximando teoria e prática. As visitas também garantem maior visibilidade e aproximação com as estratégias comunitárias na promoção da saúde e garantia de direitos”, comenta Wanda Guimarães, coordenadora do CEDAPS.

WhatsApp-Image-20160622(2)

 

A Rede de Comunidades Saudáveis

A RCS é uma iniciativa do CEDAPS, que se apresenta como entidade geradora e se compromete a trabalhar pela consolidação e fortalecimento deste movimento por saúde nas comunidades populares do Rio de Janeiro.

O CEDAPS propõe dinâmicas participativas e dialógicas para capacitar os participantes a definir, priorizar e analisar problemas e recursos disponíveis e, em seguida elaborar, implementar e avaliar projetos de ação. Além disso, sistematiza, avalia e divulga os projetos e promove a construção de redes, a troca de experiências e a replicação e expansão quando adequado.