CEDAPS | Centro de Promoção da Saúde

MENU MENU

Notícias

07 de julho, 2009

Adolescente será porta-voz dos jovens dos centros urbanos brasileiros em Roma

A estudante Mayara Rodrigues, 17 anos, moradora de Santa Cruz, será a porta-voz dos adolescentes dos centros urbanos brasileiros na reunião do G-8 – grupo dos países mais desenvolvidos do mundo – em Roma. Mayara embarcou para a Itália no dia 3 de julho junto com outros dois adolescentes escolhidos pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para representar crianças e adolescentes brasileiros no encontro.

Junto com outros 56 adolescentes do mundo todo, Mayara e os outros dois adolescentes brasileiros – representantes da Plataforma do Semi-árido e Plataforma Criança Amazônia, iniciativas do Unicef no Brasil – vão participar de grupos de estudos sobre educação, cultura, saúde e comunicação. As reivindicações e demandas serão levadas ao grupo dos países do G-8.

Moradora da comunidade Barro Vermelho, em Urucrânia, localizado no bairro de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, a jovem foi convidada por se destacar na pesquisa “
Ser Criança e Adolescente no Rio de Janeiro
”, realizada em 2007 pelo CEDAPS, com o apoio do Unicef. Engajada, Mayara participa da
Plataforma dos Centros Urbanos
, iniciativa a ser lançada em 8 de julho pelo Unicef.

“Não consigo descrever a minha emoção. Vou dar o meu melhor para representar outros jovens brasileiros que vivem em comunidades populares, como eu”, disse Mayara.

Um dos pontos que considera relevante abordar na reunião é a questão do protagonismo juvenil. Segundo Mayara, os jovens precisam ter voz e decisão na elaboração de políticas públicas. “Antes de fazerem projetos para nós, os governantes precisam ouvir o que queremos. Não adianta colocarem praças e áreas de lazer em Santa Cruz, se o que o adolescente está querendo é centro de informática, por exemplo”.

Para Luciana Phebo, coordenadora do Unicef-RJ, a participação da jovem no encontro do G-8, representa uma das propostas da Plataforma dos Centros Urbanos, que é valorizar a participação juvenil. “A participação do adolescente na Plataforma é fundamental. Vamos abrir espaço para que eles tenham voz e possam dar suas contribuições para a solução dos problemas da cidade. A participação da Mayara neste encontro valida esse conceito”, afirma.

Com informações do Unicef

 

Publicado em 06-07-09